Em época de festas juninas, em que são comuns fogueiras, balões e fogos de artifício, aumenta o número de casos de queimaduras. Por esse motivo, a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) lançou um alerta para os riscos de queimaduras, com dicas de primeiros socorros.

 

 Veja também: Dicas para prevenir queimaduras aqui

 

Queimaduras são lesões na pele provocadas geralmente pelo calor, mas também podem ser causadas pelo frio, determinados produtos químicos, radiações, eletricidade e até fricções. Podem atingir apenas a camada mais superficial da pele ou a mais profunda, comprometendo também músculos e ossos.

A seguir, veja como identificar e tratar os tipos de queimaduras:

 

QUEIMADURAS DE 1º GRAU

 

Atingem a cama mais superficial da pele. A lesão apresenta rubor (aspecto avermelhado), calor e é dolorosa.

Faça compressas frias nas primeiras horas após sua ocorrência. Não coloque pasta de dente ou manteiga em nenhuma hipótese. Use vaselina líquida para manter a queimadura hidratada. Tome analgésico, se necessário, e use filtro solar na região nos dias seguintes.

 

Veja também: Ouça também o dr. Drauzio neste podcast sobre queimaduras

 

QUEIMADURAS DE 2O GRAU SUPERFICIAIS

 

Geram bolhas e muita dor. As bolhas devem ser drenadas, mas não retiradas, pois servem como curativos biológicos. Mas atenção: esse procedimento deve ser realizado por um médico.

Após o rompimento das bolhas, o local, então, é limpo com água corrente e clorexitina. O curativo é feito geralmente com sulfadiazina de prata ou nitrato de cério. Após a cicatrização, use filtro solar para evitar manchas.

 

QUEIMADURAS DE 2O GRAU PROFUNDAS

 

Contra a intuição, elas são menos dolorosas. As bolhas são brancas e secas. O tratamento é semelhante ao das queimaduras de 3o grau.

 

QUEIMADURAS DE 3O GRAU

 

Apesar de acometerem todas as camadas da pele, são indolores porque destroem inclusive os nervos da região. Podem atingir os músculos e causar deformidades graves.

Na maioria das vezes, há necessidade de internação hospitalar, pois em geral causam manifestações sistêmicas, como desequilíbrio dos níveis de sódio, potássio e/ou cálcio e desidratação; muitas vezes é preciso retirar os tecidos necrosados e realizar limpeza e enxertos.

Se acometerem regiões como rosto, mãos, genitália, pés e vias aéreas superiores ou forem causadas por fontes elétricas – mesmo que aparentemente não haja nenhum sintoma -, procure imediatamente um serviço de emergência hospitalar.

Para evitar as queimaduras, tenha cuidado ao acender fogões e fogueiras e evite brincadeiras próximas a elas. Não utilize fogos de artifício e mantenha crianças longe de qualquer fonte de fogo e de materiais inflamáveis.

 

Vídeo: Dr. Drauzio explica o que fazer e o que não fazer em casos de queimaduras